sexta-feira, 18 de maio de 2012

de tempos em tempos

o teu cigarro sem pena no meu braço, no teu embaraço. tuas flores não arrancadas, teu sentimento desabrochado. teu corpo, tua dor, tua cara.
meu estômago.
meu desconsolo ensaiado.
minha entrega extraviada.

meio tempo.

um sol.
minha luz, minha casa - minha morada.