quarta-feira, 28 de março de 2012

o hábito da palavra

o hábito da palavra,
o querer dizer (depois de tanto tanto esforço no silêncio), o novo sentir. o querer mergulhar, como se qualquer água fosse nada, perto daquele mar. perto do fogo.
bifurcações.
a tal segurança. a tua segurança. tua.

(quem é você?)

quem são vocês?







O gelo-pedra, que se espalha estômago afora, não faz parte desse peito aqui. Não mais.
















E eu quis dizer: o hábito da palavra.

quarta-feira, 21 de março de 2012

de repente.

meu coração não aguentou pensar que ficaria assim, vazio, por muito tempo, por algum tempo. e foi se enchendo dessa esperança que cresce paixão ilusão com sentido ou não. bombeando e enchendo enchendo sem saber por quê. sem saber se é passional ou consciente. sem saber que se perde, sempre, dentro dessa razão implícita.
meu coração que não quis cansar de bater. que só quis pulsar. e que pulsa, fervente. fervendo. ardendo, empurrando adrenalina-corpo-inteiro. de repente a gente olha e pensa que foi 'de repente'. de repente nem faz sentido, nem vai fazer, mas a ideia é boa. é válida.
as possibilidades. os prováveis encontros. o sabor do desencontro. do desfazer. criar altares.
as tuas bifurcações - as minhas. as novas esquinas. os novos olhos, quem sabe tão profundos ou até mais...








ou até mais.

terça-feira, 20 de março de 2012

não quero mais fingir que esse é um sonho nosso. não foi. oblíqua conclusão do juntar, do parecer.
meu sonho é só
meu.




quarta-feira, 7 de março de 2012

vem vem vem vem e diz, um frio calafrio no peito e um foco de formigamento na
perna. Presença vazia, mãos não minhas. proximidade, introspectividade. umergulho,
cair dentro de mim conforto, mãos, sombras posição joelhos. desfazer. presença,música.chuva. passar. repassar. ressentir, sem ressentimento, só sentimento. deixar mais calmo: conforto. nova dose oura não sombra, mão. Passou?

dois ou três

 e encontrar uma casa na asa de quem também quer voar.

terça-feira, 6 de março de 2012

e um afago.
um afago, um consolo, um soro de vida.





quero a nudez do todo-dia.