quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Encaixe! (encaixote)

que vontade deu de entrar alí, naquela caixa. caixa caída e ficar quietinha, quietinha, esperando tudo passar. tudo o quê? estou tão bem. tudo tem estado tão bem. estou feliz. mas a vontade de entrar na caixa existe.. existe. chamativa, é só fechar as abas, fica escurinho e livre. dentro de uma caixa.
e depois abrir. abrir todas as caixas, e organizar. tudo no seu "devido lugar". bem, quase tudo...
porque sempre sobra um restinho desajeitado, que cansado, a gente joga na gaveta em que houver espaço.

leve!
leve, traga, trague, estrague, extraia, traia, viva.
so-bre-vi-va.
sobressaia, sem ensaio.
só assanhe. sin-ta.
minta.
morra. voe. viva.



terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

preto, desbotado.
tenho em mim todas as cores. todo um arco-íris cheio de. cheio de quê?
não sei direito de mim. nada de ti.
sei do amor, que jogo. eu vou mandando, vou mandando embora
você ainda não possa receber... mas aqui dentro não pode ficar.
aos pouco, lento e cheio. cheio de um milhão de coisas pra fazer. cabeça cheia. casa cheia. mochila cheia.
E coração?
vou fazendo. não sei se dura.
aquela quarta-feira está aí...
e o amor?



violino rangente.



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

canto lugar

Eu não quero fechar a porta, eu vou abrir as janelas e deixar a luz acesa. Eu não vou fechar. nem me fechar. eu nunca me fechei, sabe? Eu tô aqui, aberta, jogada, de lado, caída, cabeça apoiada, pensamento no chão. Mas eu tô firme. eu tô querendo que o vento entre e saia, entre e saia várias vezes. vou jogando no papel mesmo que rasgue. mesmo que me rasgue. eu deixo rasgar e não quero. eu te rasgo, revido e rasgo. eu precisei fechar. o silêncio é casa. a vida, tumulto. de semana em semana somos um milhão em cada minuto. estou só, mas não muito - tenho amigos invisíveis por todas as partes. nenhum grito assustará. nenhuma mudança assustará. vou. só e firme. meu canto é renascer. meu encanto é renascer.
não desafine.