segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

o relógio da igreja pelo portão de casa





t
inha tanto pra ser escrito. tanto.
eu não quero a impressão da não existência só porque não ficou no papel.
está aqui, está em nós. nada foi nem será perdido. nem pedido.
vão se atropelando (os acontecimentos) e não me dão tempo. Se paro, perco o próximo.
Então, num segundo de silêncio, me resta dizer sobre o não dizer.
Eu tô aqui, eu vi tudo. embaralhado e salvo.


.


Nenhum comentário:

Postar um comentário