sexta-feira, 26 de agosto de 2011

hojeeuvousairdecasavoudeixarasmágoastodaspelochão

(Um)

No good alone, I miss you.
o vício. Todas as palavras já perdidas.
Tudo o que te deixo
pensar.
Todas as minhas palavras não ouvidas, mal interpretadas
não interpretadas.
Todas as minhas vontades que nunca sairão.
Todas as minhas idéias, angústias, rebeliões.
Não quero solução, só exposição.
Não quero uma posição
Todas as palavras, tudo que se perdeu na minha página imaginária.
Agora nem papel nem sonho
Passado apagado.


Dois.


O fone no ouvido, a bateria acabada:
Não há música. O que entra na cabeça não é maior do que o qeu já está aqui.
Eles fazem de conta que escutam
mas só querem emitir.
omitir.
mentir.
O mito do sentimento nem sequer passou por perto.
São só palavras jogadas.
Um faz-de-conta tão bonito.
Cadê a profundidade?
Cadê a profundidade?
Me afundo mais em mim cada vez que redescubro a não existência das relações.
Me toca. Ou morre.


Três



Não vou ouvir a opinião.
Não é se fechar, é se abrir e mostrar MINHAS escolhas há muito já feitas e nunca usadas. ousadia? Eu vou ser. Nem que seja só eu. Eu vou ser. Eu vou mudar os móveis de lugar e encontrar uma casa na asa de quem também quer voar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário