terça-feira, 28 de junho de 2011

um preço




e
mbora um pedaço sempre falte
eu tenho muito, tudo, não há do que reclamar;
não me deixa, Pai, que eu caia entre eles.
que meu corpo vomite os erros da minha alma doente...








[delírios de uma terça-à-noite sem estudar ]



Nenhum comentário:

Postar um comentário