domingo, 26 de dezembro de 2010

Não cansar



s
into uma febre-de-domingo-à-noite. Nada que dure muito tempo.
Nenhum sentimento de inquietação, desaconchego, tem durado muito.
Ando observando as coisas ao redor sem me aprofundar nas interpretações - pisando na bagunça do meu quarto sem me importar com tal desconforto. Pra que se preocupar?
É como se esses dias entre natal e reveillon não fizessem parte do ano - e eu... faço questão de ficar aquém deste mundo. deixar os conflitos do fim de um ciclo se resolverem, assim, sozinhos.
Tenho mergulhado em mim sem abrir os olhos. escutado canções sem sentir as letras, apenas a melodia, entrando e fazendo cócegas...
Não é cansaço: é não se cansar.
É embalar-me na rede do quarto ao lado e esperar que a nova brisa chegue.

---

(Do caminho que venho trilhando, vossa parte já foi feita. E bem feita. Trouxestes-me forte. Aprendi o bom da companhia, e a me "virar" na necessidade solitária. - à memória me vêm os dias em que me deixavas na escolinha, e eu chorava até me entreter com os coleguinhas e com a atividade do dia...- Sou assim, espelho também vosso, e daqui continuarei. Segui! O 'descanso' vos é merecido..)

---



[O Território já foi explorado, e creio já ter conseguido minha partezinha.
E que "família linda" somos...]

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010





s
ol a pino, cidade deserta
ando sozinha na rua com um sorriso bobo de que
o ano foi bom.




segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

doces acordes...

Quando tudo o que você defendia não faz mais sentido (e isso está longe de ser trágico).
Você de joelhos num choro que não é de desespero... nem de glória.
Ser consumido.
Fazer-se de desentendido, porque o não saber deixa tudo um tanto mais profundo.
Criar casos.
Criar acasos de um destino bom.
Conspirar. Defender pequenos erros. Culpar os astros.
Enrolar-me nas linhas dos teus doces acordes. Dormir no teu abraço. Sonhar no teu tom de voz...





[Dizer adeus pro meu mundo de ilusões... para nunca mais.]