sábado, 19 de junho de 2010

Restos

Parece que você vive se agarrando às sobras (e faz delas refeições completas). São só migalhas. Entenda, você precisa mais. Aceita que isso não te sustenta. Chega de algodão doce - que é tão amargo quando 'desaparece' no mais sensível toque. Te joga daí! O que importa se o pára-quedas não abrir? O que vale mesmo é o momento em que se voa. It seems like it's always raining but you can't even feel the drops.
23:23
Não. Não há amor no fim de festa. Chega do "galho em galho" das ilusões. É preciso ouvir tua própria música. Chega de música alheia. Chega de palavras tortas, embaralhadas. Começo, meio e talvez fim, sabe como é? Há tempos que estás lá, no ensaio. Tem que apertar o play, mesmo que seja puro improviso.
(Escrevo e esqueço. Não são minhas. - nem mesmo as palavras...)

2 comentários:

  1. você só me surpreende, sempre. :)

    ResponderExcluir
  2. mas, infelizmente, alguns se satisfazem sendo restos, pedaços, migalhas de coisa nenhuma.

    as ilusões são tão necessárias quanto a realidade. é preciso ter paciência com as almas cansadas.

    eu gostando de passar por aqui
    =)

    ResponderExcluir